Entrada > Notícias > O Despertar da Primavera

O Despertar da Primavera

ESMAE

3 a 7 de julho, Teatro Helena Sá e Costa


O Despertar da Primavera


3 a 6 de julho, 21h00
7 de julho, 16h00 (espetáculo com recurso a língua gestual portuguesa)


Teatro Helena Sá e Costa
3º ano do Curso de Teatro da ESMAE
Encenação: Nuno Carinhas; Assistência de encenação: João Delgado Lourenço; Tradução: João Barrento
Texto: Frank Wedekind




A Produção V é o último projeto coletivo dos alunos finalistas da licenciatura. Em contexto académico, propõe a realização de um trabalho com um encenador convidado, organizados em equipas e coordenados por professores das áreas respetivas: variante interpretação e variante produção e design: cenografia, figurinos, luz e som, e direção de cena e produção.

Os espetáculos das produções correspondentes ao último ano do curso de Teatro acontecem no Teatro Helena Sá e Costa, teatro de acolhimento situado na ESMAE, que oferece aos alunos condições técnicas como as dimensões e a equipa disponível, comparáveis ao mundo profissional, preparando-os para o trabalho no meio artístico dos grandes teatros. A Produção V deste ano letivo (2018/2019) compreende as datas de 27 de maio a 7 de julho. São seis semanas de trabalho, com 29 alunos, dos quais, 16 intérpretes, 3 cenógrafas, 5 figurinistas, 1 designer de luz, 1 designer de som, 1 diretora de cena e 2 produtoras. Incluída neste total está ainda uma aluna de Erasmus (Espanha).

 


 

Tragédia da adolescência, escrita entre o Outono de 1890 e a Páscoa de 1891. Uma peça sobre o despertar de uma Primavera não tão florida. Sobre o fim da inocência e a amargura da diferença. Sobre uma juventude inquieta. Sobre o género e a classe social. Sobre o nosso papel no mundo. Há desespero, mas também há esperança. Assumimos a responsabilidade de não termos ficado por nascer, ainda que não saibamos como chegámos a este mundo. Descobrimos que, por vezes, “a vida é mesmo de uma crueldade incrível”.

 


 

O Despertar da Primavera (em alemão: Frühlings Erwachen) é a mais emblemática peça do dramaturgo alemão Frank Wedekind. Escrita entre o outono de 1890 e a primavera de 1891, teve a sua primeira atuação apenas a 20 de novembro de 1906, com encenação de Max Reinhardt, premiada pelo Deutsches Theater em Berlim. A peça critica a sociedade alemã do final do século XIX pela cultura de oprimir a sexualidade. Pela dramatização da tão escondida descoberta da sexualidade na adolescência, a peça foi frequentemente censurada. A primeira atuação em inglês foi em 1917 em Nova Iorque, onde também existiu ameaça de censura.

 

Frank Wedekind

Foi um ator, dramaturgo e romancista alemão, considerado por Brecht como um dos grandes educadores da Europa moderna. Nascido em Hanôver em 1864, escreve a sua peça mais emblemática ‘O Despertar da Primavera’ em 1891. É muitas vezes equiparado a Tolstoi e a Strindberg. Viveu a sua vida em Munique, onde mais tarde viria a falecer em 1918. Antes de se tornar ator, trabalhou no circo e foi cantor de cabaré, compondo as próprias canções. Aos 34 anos é preso por seis meses pela publicação de poemas satíricos e após isso torna-se dramaturgo, sendo autor das peças ‘O Espírito da Terra’ (1895), ‘A Caixa de Pandora’ (1904) e ‘A Dança da Morte’ (1908).


Autor

antoniogorgal@esmae.ipp.pt

Partilhar