Entrada > Notícias > MATS lab 2021

MATS lab 2021

ESMAE

Apresentação de projetos - Laboratório de Criação (Mestrado em Artes e Tecnologias do Som); 28/7 - 15h00, 29/7 - 21h00


Apresentação dos projetos individuais no âmbito da Unidade Curricular de Laboratório de Criação do Mestrado em Artes e Tecnologias do Som


Museu Nacional de Soares dos Reis

Quarta-feira, 28 de julho - 15h00

Quinta-feira, 29 de julho - 21h00


Projetos a apresentar:

0 to 1 - Vasco Faim

0 to 1 é uma instalação audiovisual imersiva na qual é dada ao espectador a possibilidade de intervir no próprio conceito na medida em que este é tão vago, que se torna maleável e extensível a várias áreas sociais, naturais, históricas e assim sucessivamente. “0 to 1” acaba por se relacionar com o caracter evolutivo de qualquer tipo de matéria que tenha começado no seu estado mais fundamental e ao longo do tempo, por força de factores externos evolui e desenvolve-se, perdendo as características da sua essência para dar lugar a novos elementos e novas formas de ser experienciada. Para o ambiente sonoro e visual da instalação o estado fundamental é a altura em que não há publico, sendo que o publico é por analogia o factor externo que faz com que a instalação evolua.


Caixa Postal - Lea Terregona

 ao telefone soam vozes, um coro efêmero que canta e fala sobre a voz em busca de um destinatário.

 um arquivo de mensagens após o sinal, para pensar a voz e seus afetos.


Moraceae Echo-Scapes - Tomás Quintais

O aparente silêncio inerente a uma das árvores mais icónicas da cidade de Coimbra, cujo nome científico é Ficus Macrophylla, da família Moraceae, mais conhecida como figueira-estranguladora, é confrontado nesta instalação através de um processo de sonificação segundo múltiplas perspetivas acústicas. A relação simbiótica que se estabelece entre este ecossistema biológico e uma possível provocação sónica que se deixa mediar pela tecnologia, remete o ouvinte para uma experiência de escuta sensível aos fenómenos imprevisíveis da natureza, embora parcialmente camuflados por uma dinâmica não explícita, ou seja, algo distorcida das expetativas sonoras intrínsecas ao próprio organismo. O tratamento de dados por intermédio da programação criativa e a recolha de sinais elétricos a partir de sensores e dispositivos tecnológicos, permitem elaborar uma rede sonora passível de ser manipulada de acordo com procedimentos composicionais previamente determinados. Enquanto organismo labiríntico, autor de uma autêntica ilustração rizomática, a progressiva expansão do seu território compromete a fixação das espécies vizinhas, traçando caminhos pictóricos, mas também eles sonoros, ecos que se prolongam indefinidamente pela matéria orgânica e que alimentam o corpo da própria árvore. O traçado das paisagens ecoicas procura refletir uma instalação audiovisual não programática e que terá como propósito a sua metamorfose acústica.


Modular Samples - Alexandre Esteves

MODULAR SAMPLES é uma proposta de trabalho na qual será concebida uma biblioteca de sons através de sintetizadores modulares e semi-modulares, virtuais ou físicos. Esta biblioteca ficará disponível para a comunidade que pretenda experimentar sons provenientes de síntese sonora com instrumentos modulares sem que haja a necessidade do utilizador conhecer à fundo o processo de síntese manipulada por sintetizadores modulares e semi-modulares. Proporciona também ao utilizador uma alternativa aos presets já disponíveis nos softwares e à limitação de se obter um timbre através de um sintetizador modular físico.


Migração dos Pássaros - Bruna Curva

A migração dos pássaros ganha forma através da captação, transcrição, imitação e manipulação de sons, funcionando como uma fuga ao clima industrial que tende a sobrepor-se ao natural.

Esta migração será romanceada, substituindo todos os sons originais por instrumentos clássicos. Através desta transformação, será originada uma nova narrativa manipulada pela autora, acompanhada por elementos fotográficos complementares à composição sonora.


(Dis)connect / 01110011 01101011 01101001 01101110 - Diogo Freitas

Da atualidade diz-se vivermos conectados, no entanto, nunca foi maior a separação entre o espaço vivido e o espaço sentido. Nos espaços em que viajamos em comunidade, comunicamos à distância. Auscultadores transformam a nossa paisagem sonora. Viajamos em dois espaços em simultâneo. A nossa música transforma a paisagem sonora do meio. O ouvir e o corpo habitam dimensões diferentes. A audição do meio circundante, sentido soberano nos primórdios da humanidade, existe num estado de desconexão do ambiente, ligado á rede, mas desligado do meio. Estou aborrecido… Oiço música ou um podcast, enquanto espero, para “passar mais depressa o tempo”. O tempo que vivo não é mais o tempo que sinto, ou pelo menos faço um esforço para que assim seja. 

Sentir na pele VS sentir no neurónio. 

 

A.v.A. - Joao Alves

Esta performance tem como objetivo a criação de música experimental improvisada, realizada através de instrumentos criados pelos próprios músicos. Nesta performance o músico natural do Porto, João Alves, terá o apoio de 2 músicos, AtA OwwO e Claro Que Ninguém, que o ajudarão a explorar todos os sons possíveis com estes novos instrumentos, esperando-se ouvir momentos calmos e extremos.


Autor

antoniogorgal@esmae.ipp.pt

Partilhar