Entrada > Notícias > Diálogos da Teoria

Diálogos da Teoria

ESMAE

Diálogos cruzados sobre ópera contemporânea. Quarta, 11 de janeiro, Sala Teresa Macedo, 16h30


Diálogos da Teoria - Diálogos cruzados sobre ópera contemporânea
Nesta sessão muito especial dos Diálogos da Teoria, explorar-se-ão diferentes perspetivas sobre a ópera contemporânea como plataforma de encontro entre diferentes meios, artes e linguagens. Começaremos com uma apresentação do professor João Pedro Cachopo, da Universidade NOVA de Lisboa, sobre a relação entre ópera e cinema no século XXI (uma das temáticas principais da sua investigação); seguir-se-á uma conversa mais informal com dois membros da equipa do Quarteto Contratempus, sobre os aspetos musicais, teatrais e tecnológicos envolvidos no tipo de espetáculo operático que eles têm desenvolvido nos últimos 13 anos.


João Pedro Cachopo: Atracções electivas: do cinema à ópera no século XXI 

  

O encontro entre a ópera e o cinema remonta ao início do século XX. Nesta apresentação, debruçar-me-ei sobre uma faceta menos conhecida – e bem mais recente – da interacção entre estes dois géneros: a criação de novas óperas baseadas ou inspiradas em filmes pré-existentes. Com efeito, títulos como Estrada PerdidaO Anjo Exterminador ou Persona deixaram de ser apenas títulos de filmes sobejamente conhecidos e admirados (de Lynch, Buñuel e Bergman) para designaram também óperas (de Olga Neuwirth, Thomas Adès ou Keeril Makan). Ao mapear este fenómeno, tomarei como fio condutor uma dupla questão: o que explica, por um lado, e que significado e relevância tem, por outro lado, a emergência deste repertório na história do género músico-teatral?

(João Pedro Cachopo)

 

Quarteto Contratempus

O Quarteto Contratempus é uma estrutura dedicada à criação de ópera, e que tem desenvolvido a grande maioria do seu trabalho no Porto, incluindo as estreias das suas principais criações no Teatro Municipal. Há treze anos que desenvolve a sua actividade na música, na criação de ópera e agora, na programação. Neste momento, o QC tem uma equipa de trabalho permanente, um espaço próprio na cidade do Porto, e uma rede de parcerias alargada a todo país, o que o aponta como um dos promotores mais preparado para um projecto desta envergadura e carácter.

Autor

antoniogorgal@esmae.ipp.pt

Partilhar