Entrada > Notícias > Diálogos da Teoria

Diálogos da Teoria

ESMAE

Diálogos do Mestrado: 7 de julho, 17h30-19h30; Diálogos da Licenciatura: 8 de julho, 17h30-19h30 - Sala 210 e ZOOM


Quarta-feira, 7 de Julho (17h30-19h30) | Diálogos do Mestrado 

Messiaen e Zimmermann: entre a Análise e a Performance  

Sessão presencial na sala 210, com transmissão via Zoom

https://videoconf-colibri.zoom.us/j/81372918687?pwd=eExpZFhKWEVZTnNZMzRnRmNBUFNBUT09 

Apresentação #1: Quarteto para o fim do tempo: uma análise da ideia de eternidade (e seus limites) (Dalila Teixeira, com membros do Quarteto Caleidoscópio) 

Segundo Messiaen, no seu Quatuor pour la fin du temps “abandona-se a dimensão humana, através de ciclos e do destino, para abraçar a eternidade”, eliminando-se, assim, o fluxo linear do tempo (Rischin, 2003, 51). Também Pople (1998) defende a prevalência da ideia de eternidade no Quatour, pelo menos no primeiro andamento (Liturgie de Cristal). Será, porém, a noção de eternidade evocada pela música assim tão pura? Nesta apresentação, vou abordar esta ideia de eternidade de um ponto de vista alternativo, explorando três tópicos principais: permeabilidade das texturas (1º andamento), construção frásica e melódica (5º andamento) e forma narrativa (8º andamento).  

 

Apresentação #2: O modernismo de Zimmermann: uma perspectiva do intérprete sobre o Concerto para oboé e pequena orquestra (Filipa Vinhas, com o pianista José Parra) 

O Concerto para oboé de B. A. Zimmermann é um dos concertos mais importantes no reportório de oboé. Apesar disso, há muito pouca informação disponível e nenhum trabalho científico prévio publicado sobre o mesmo. Esta apresentação é uma primeira análise do concerto, feita do ponto de vista do intérprete e situando-o no contexto dos modernismos musicais do século XX, em particular os de Schoenberg e Stravinsky. A análise procura tornar o concerto mais apelativo à interpretação e audição.



Quinta-feira, 8 de Julho (17h30-19h30) | Diálogos da Licenciatura 

Xenakis e Liszt: contrastes analíticos 

Sessão presencial na sala 210, com transmissão via Zoom 

https://videoconf-colibri.zoom.us/j/83538452897?pwd=V04rNjUydWJYWVkzU1JPNUltcGhBdz09 

Apresentação #1: A arquitetura da música de Iannis Xenakis: "Metastaseis" (Ana Rita Costa, Joana Marques, Laura Peres e Teresa Tenrinho) 

No âmbito da disciplina de Análise da Música Contemporânea II, desenvolvemos uma análise da obra "Metastaseis" assente na relação entre a Música e a Arquitetura e no conceito de continuidade, transversal à peça e intimamente ligado ao título.

Apresentação #2: As ramificações semânticas de “Verlassen” (Ema Lecomte, com a soprano Beatriz Ramos) 

Proposta de uma análise do Lied “Verlassen” de Liszt, centrada nas implicações polivalentes do título: um sujeito poético abandonado pelo seu amor, uma dominante estrutural abandonada pela tónica, um refrão abandonado de recheio harmónico, e o grau do lamento, eternamente pendurado…


Autor

antoniogorgal@esmae.ipp.pt

Partilhar