Entrada > Notícias > PORTUGAL, SINTO A TUA FALTA

PORTUGAL, SINTO A TUA FALTA

ESMAE

25 poemas que falam da Pátria - 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas


Em plena pandemia, e de modo a construir cabedal técnico e consciência na arte de dizer, um saber que valorizará a sua arte principal (a de cantar), os estudantes de todos os graus da UC INTERPRETAÇÃO CÉNICA, classe de CANTO, foram desafiados a ocupar uma parte do seu tempo em sessões colectivas e individuais (as previstas no ordinário mapa de aulas e as outras acrescentadas), refectindo sobre poetas e poemas que falam de uma ideia de Pátria (a primeira experiência teve tema no 25 de abril), tentando encontrar as formas mais justas de os comunicar, fugindo o mais possível ao lugar comum, à música mais óbvia: eles nas palavras, eles nos poemas, eles nas ideias, eles no corpo do poema, eles no sopro vital da poesia.

Deste trabalho resultam um conjunto de 25 poemas, episódios únicos de uma novela radiofónica que fala da Pátria, que tenta perceber através de poetas tão diversos como Jorge de Sena, Alexandre O’Neill, Fernando Pessoa, etc, alguma coisa sobre ser-se português, mas que também reflecte sobre outras nações, ou não fossem os alunos provenientes também da Galiza ou do Brasil (Rosalía de Castro, Carlos Drummond de Andrade, Olavo Bilac, entre outros).

Para enquadrar todos os episódios desta novela, extraímos da pena (e mão) de Luís Pipa e do seu My Beautiful Blue Country (uma rescrita de “A Portuguesa”), os acordes aquáticos, desanimados e vencidos que necessitavamos, numa espécie de genérico recorrente.

E assim, chegámos aqui.

António Durães

 

25 POEMAS QUE FALAM DA PÁTRIA

 

BEATRIZ SOUSA diz A PRECE de Fernando Pessoa

 ANA ROSA diz o PRIMEIRO POEMA DA MENSAGEM de Fernando Pessoa

 BEATRIZ SOUSA e ANA ROSA dizem PORTUGAL de Alexandre O'Neill

 LEONOR FIGUEIREDO diz MAR PORTUGUÊS de Fernando Pessoa

 LEONOR FIGUEIREDO diz JÁ FOSTE RICO E FORTE E SOBERANO de Saúl Dias

 PATRÍCIA GONÇALVES diz PÁTRIA de Sophia de Mello Breyner

 JACINTA ALBERGARIA diz O INFANTE de Fernando Pessoa

 BEATRIZ RAMOS e JACINTA ALBERGARIA dizem SAUDADE de José Luís Peixoto

 RITA MORAIS diz E DE NOVO, LISBOA... de Alexandre O'Neill

 RITA MORAIS diz o SÉTIMO POEMA DO PORTUGUÊS ERRANTE de Manuel Alegre

 TERESA DOS SANTOS diz um excerto de PORTUGAL de Guerra Junqueiro

 IRIA ARIAS diz ADIÓS RÍOS, ADIÓS FONTES de Rosalía de Castro

 INÊS MARGAÇA diz NEVOEIRO de Fernando Pessoa

INÊS MARGAÇA diz CARTA A SOPHIA de Manuel Alegre

 RAFAELA MONTEIRO diz PORTUGAL de Jorge Sousa Braga

GUSTAVO QUEIRÓS diz TROVA DO VENTO QUE PASSA de Manuel Alegre

FÁBIO SOARES diz AUTO-RETRATO PORTUGUÊS de Miguel Torga

 ANA ALMEIDA diz SEGUDO POEMA DO PORTUGUÊS ERRANTE de Manuel Alegre

MARIA MENDES diz FADO PORTUGUÊS de José Régio

CLIFF PEREIRA diz LISBON REVISITED de Álvaro de Campos

 JOANA COSTA diz PORTUGAL FUTURO de Ruy Belo

 MARIANA GOMES diz NO PAÍS DOS SACANAS de Jorge de Sena

ANDREIA SOUSA diz A PÁTRIA de Olavo Bilac

DOUGLAS NASCIMENTO diz CANÇÃO de Cecília Meireles

CARLOS MORAIS diz E AGORA, JOSÉ? de Carlos Drummond de Andrade

 

 

Notas técnicas:

Estes poemas foram gravados em casa de quem os diz.

Indicativo a partir de My Beautiful Blue Country de Luís Pipa.

A sonorização é de António Durães.

Autor

antoniogorgal@esmae.ipp.pt

Partilhar