Entrada > Notícias > Recital de Piano - Sónia Rubinsky

Recital de Piano - Sónia Rubinsky

ESMAE

Contemporary Dialogues I - THSC, 12 de dezembro, 21h30 - IV Encontro Internacional de Piano Contemporâneo


Obras de Bach, Almeida Prado e Villa Lobos

"Vencedora do prémio latino Latin GRAMMY®, destacada como “Melhor Recitalista do Ano” pela Associação de Críticos de Arte de São Paulo,  vencedora do Prémio “Piano Recital Award” William Petschek da Juilliard School e do Primeiro Prémio "Artists International" de Nova York, a pianista Sónia Rubinsky destaca-se pelo seu estilo poético e vigoroso.

Sônia Rubinsky viveu 13 anos no Brasil, seu país natal, 7 anos em Israel (onde estudou na Rubin Academy) e o resto da sua vida adulta em Nova York, cidade onde, em 1984, recebeu o 1º lugar no Artists International Competition in New York e o título de Doctor of Musical Arts pela Juilliard School. Atualmente, reside em Paris. Seu primeiro recital foi aos seis anos de idade, e com 12, o seu primeiro concerto com orquestra. Em Israel, foi selecionada para tocar em uma master class do pianista Artur Rubinstein, que muito a elogiou o seu grande temperamento musical. Essa apresentação foi documentada no filme intitulado Rubinstein in Jerusalem. Recitalista nas grandes salas de concerto nova-iorquinas como Weill Recital Hall (Carnegie Hall), Alice Tully Hall, Merkin Concert Hall e Miller Theatre, tem se apresentado em outras cidades dos Estados Unidos, bem como em Israel, Europa e Brasil. Como solista de orquestra se apresentou com a OSESP, Orquestra de St. Luke’s, OSB, Sinfónica de Richmond, Sinfónica de Syracuse, Sinfónica de Phoenix, Sinfónica de Jerusalém, Sinfónica de St. Etienne, Sinfónicas dos Teatros Municipais de São Paulo e Rio de Janeiro, Sinfónica de Campinas, Sinfónica da USP e Sinfónica da Bahia, entre outras. Sonia Rubinsky gravou a obra integral para piano de Heitor Villa-Lobos em oito volumes para a NAXOS, iniciada em 1994 nos Estados Unidos e no Canadá e finalizada em 2007, em Paris. Mais de 13 anos de pesquisa, em estreita colaboração com o Museu Villa-Lobos no Rio de Janeiro, e a pesquisa de manuscritos em diferentes países, fazem dessa obra a mais completa jamais gravada, incluindo varias peças inéditas. O 1° volume foi selecionado, em 1999, pela revista britânica Gramophone, como uma “das cinco melhores gravações do ano” e foi nomeada para o GRAMMY Awards. O 5° volume foi selecionado pela mesma revista como “Editor’s Choice” em outubro de 2006 e o 8° Volume, foi vencedor do GRAMMY Latino 2009 de “Melhor Álbum de Música Clássica”. A sua discografia inclui, ainda, obras de Bach, Mozart, Scarlatti, Debussy, Messiaen, Mendelssohn (integral das Canções Sem Palavras), Jorge Liderman e Gabriela Lena Frank. A pianista gravou 150 minutos de música de Bach, e dois CD’s foram lançados com o selo NAXOS, Magna Sequentia I e II: projeto original trazendo para o piano moderno uma leitura historicamente informada. Intérprete do repertório clássico e romântico, se interessa igualmente pela música contemporânea. O compositor Almeida Prado dedicou-lhe várias obras, entre elas as Cartas Celestes XII (2000) e a Sonata para Violoncelo e Piano (2004), em parceria com o violoncelista Antonio Meneses.

Sonia Rubinsky estreou obras de vários compositores como Marco Padilha, Willy Corrêa de Oliveira, Jorge Liderman, Patrick Zimmerli, Sean Varah, Meir Serrouya, entre outros. Em 2006, recebeu o Prêmio Carlos Gomes - atribuído pela Fundação Padre Anchieta e Radio e TV Cultura, na categoria Pianista do Ano, e, em 2009 e 2012, como Instrumentista do Ano.

Nomeada por Murray Perahia como artista-residente no Edward Aldwell International Center for Piano Performance and Musicianship em Jerusalém, ministra masterclasses regularmente nesse centro. Também atua no Jerusalem Music Center, a convite do Maestro Perahia, desenvolvendo cursos de Análise para Performers."

Autor

antoniogorgal@esmae.ipp.pt

Partilhar