Entrada > Notícias > Duo Contracello - Ver os Sons, Ouvir Imagens

Duo Contracello - Ver os Sons, Ouvir Imagens

ESMAE

ESMAE, Sala Teresa Macedo - sexta-feira, 10 de dezembro, 19h00


Ver os Sons, Ouvir Imagens é um evento multimédia de caráter performativo em que a música interpretada pelo Duo Contracello – original agrupamento de contrabaixo e violoncelo, integrado por Adriano Aguiar e Miguel Rocha –, composta por criadores contemporâneos propositadamente para o Duo, interage com sequências audiovisuais desenhadas por videoartistas nacionais. O trabalho criativo em torno do  cruzamento  destas duas expressões artísticas permite criar um espectáculo multidimensional, proporcionando ao público novas e intensas experiências estéticas.

Após ter trabalhado com os compositores João Pedro Oliveira, Isabel Soveral, Jaime Reis, Clotilde Rosa, António Chagas Rosa, Ângela Lopes e os videoartistas Mariana Irene Aparício, Inês Silva, Gabriel Marmelo e o próprio João Pedro Oliveira, com concertos nacionais em Castelo Branco, Lisboa, Porto e Torres Vedras e internacionalizações em Amesterdão, Madrid e Praga, usufruindo do apoio da DGARTES e da GDA, o Duo Contracello continua a apostar no projeto Ver os Sons, Ouvir Imagens, cuja validade tem sido confirmada pela excelente recetividade do público. Conta, assim, com um renovado leque de compositores e videoartistas, que mescla personalidades experientes com nomes emergentes.

 

DUO CONTRACELLO

Duo Contracello iniciou a sua actividade em 1993. A receptividade e o sucesso imediatamente obtidos junto do público levaram os seus fundadores a apostar na continuidade do projecto. Para além das suas apresentações em Portugal (tais como Festivais de Música de Espinho, de Leiria, Porto 2001-Capital Europeia  da Cultura e Centro Cultural de Belém, Festival CriaSons 2011), o Duo Contracello actuou em Espanha, França (Festival d’Ile de France), Suíça, Estados Unidos da América e República Checa.O seu repertório, que se  estende de Couperin a Berio, é constantemente enriquecido com obras originais especialmente dedicadas. A primeira realização discográfica do Duo Contracello (CD NUMERICA 1055) foi publicada em fins  de  1996, contou com o apoio do Ministério da Cultura e inclui obras de Boismortier,  Pleyel,  Rossini  e  Alexandre  Delgado. Em 2006 foi lançado o segundo CD – “Duo Contracello II” com obras de Couperin, Keyper, Mozart, Boukinik e Carlos Azevedo. O CD – “Duo Contracello III”,  editado em 2015 é inteiramente preenchido com    obras dedicadas ao Duo Contracello por compositores portugueses: Sérgio Azevedo, Paulo Jorge Ferreira, António Victorino D’ Almeida, Isabel Soveral e César Viana. O programa deste último CD foi apresentado em numerosos concertos de norte a sul de Portugal, com o apoio da Direção-Geral das Artes.

 

CÂNDIDO LIMA

Atividade em composição, instrumentos, ensino, investigação, ensaio, conferência, jornalismo, animação cultural, divulgação, Diplomado em Piano e Composição pelos Conservatórios de Lisboa e Porto. Doutorado pela Universidade de Paris I e Paris IV. Frequentou cursos internacionais, cursos de música electrónica e informática musical, nas Universidades de Paris VIII, Paris I e II, no CEMAMu, e no IRCAM.

Bolseiro da Fundação Gulbenkian e da SEC/MC. Escreveu nas Enciclopédias Verbo e na imprensa. Televisão e rádio séries de programas. Director e professor dos Conservatórios de Braga e Porto, Professor Coordenador da ESMAE/IPP. Fundou o GMN. Autor da gravação de Arts/Sciences- Alliages de Xenakis. Música para diversas fontes sonoras e grupos corais ou instrumentais. OCEANOS e A-MÈR-ES introduzem na música para orquestra o computador e electroacústica. OCEANOS teve destaque na Tribuna Internacional de Compositores da UNESCO, e A-MÈR-ES foi reouvida no Festival Música Viva de Miguel Azguime em 2019. Formou, como tenor, Fernando Serafim, um duo nas décadas de 60/70.

 

MARIANA VIEIRA

Mariana Vieira estudou saxofone, piano e composição na Escola de Música Nossa Senhora do Cabo. Tem apresentado o seu trabalho em festivais como Monaco Electroacoustique, Festival DME (Dias de Música Electroacústica), Aveiro Síntese, Encontros Nova Música – Vila do Conde, Música Viva e Peças Frescas. Obteve o 1º prémio no concurso de composição/interpretação Nano Músicos Electroacústicos 2014.

Participou em workshops com François Bayle, Åke Parmerud, Annette Vande Gorne e Bernard Fort. É produtora do festival DME e presidente da associação EMSCAN desde 2016. Frequenta a Licenciatura em Composição na Escola Superior de Música de Lisboa.

 

ANNE VICTORINO D’ALMEIDA

Estudos de música em Viena da Áustria e na Fundação Musical dos Amigos das Crianças – Inês Barata e Leonor Prado, no Conservatório Regional de Rueil-Malmaison (França) na classe de Dominique Barbier e posteriormente na Academia Nacional Superior de Orquestra – Ágnes Sárosi. Master-classes como James Dahlgreen, Gerardo Ribeiro, Galina Turtchaninova, Gilles Apap e Maxim Vengerov.

Tem dedicado grande parte  da sua carreira musical à composição de bandas sonoras, sendo-lhe atribuído o prémio de melhor proposta musical no concurso “Teatro na Década 97”. Compôs a música de diversas peças, encenadas no IPdJ, Teatro da Comuna e Teatro  da Trindade. Compôs a banda sonora do documentário “Cartas a uma Ditadura” realizado  por Inês de Medeiros, exibido em diversas salas de cinema do país e estrangeiro. A sua música tem sido    tocada por formações como a Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra Sinfonietta de Lisboa e Orquestra  do Algarve. É membro fundador do Quarteto Lopes-Graça, com várias gravações de dedicadas Música Portuguesa actuando não só Portugal como no estrangeiro. Leccionou master-classes na Escola Portuguesa em Maputo (Moçambique) e nas Oficinas de Música de Curitiba (Brasil) e é professora na Escola Metropolitana de Lisboa e Escola de Música do Conservatório Nacional.

 

JOÃO PEDRO OLIVEIRA

João Pedro Oliveira ocupa o cargo de Corwin Endowed Chair em Composição na Universidade da Califórnia em Santa Barbara. Estudou orgão, composição e arquitetura em Lisboa. Concluiu o doutoramento em Música na Universidade de New York em Stony Brook. Sua música inclui composições orquestrais, música de câmara, música eletroacústica e vídeo experimental.

Recebeu mais de 50 prémios internacionais pelas suas obras, incluindo três prémios no Concurso de Música Electroacústica de Bourges, bem como os prestigiados Magisterium e Prémio Giga-Hertz, o 1º Prémio no concurso Metamorphoses, o 1º Prémio no concurso Musica Nova. Foi professor na Universidade de Aveiro e na Universidade Federal de Minas Gerais. Publicou diversos artigos em revistas nacionaise internacionais, e escreveu um livro sobre teoria analítica da música do século XX.

 

Autor

antoniogorgal@esmae.ipp.pt

Partilhar