Entrada > FestivalSet'18 > Programação > domingo, 8 de julho

Domingo, 8 de julho

 

15h00Hipocampo - Sala de Desenho | ESMAE

INSTALAÇÃO, PERFORMANCE

«Está particularmente envolvido com os fenómenos de memória, em especial com a formação da chamada memória de longa duração (aquela que persiste, às vezes, para sempre). Quando ambos os hipocampos ( direito e esquerdo) são destruídos, nada mais é gravado na memória. O indivíduo esquece, rapidamente, a mensagem recém recebida. Um hipocampo intacto possibilita ao animal comparar as condições de uma ameaça atual com experiências passadas similares, permitindo-lhe, assim, escolher qual a melhor opção a ser tomada para garantir sua preservação.»

(Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo)

 


 

17h00A Festa - Sala 213 | ESMAE

TEATRO

Caríssimos convidados, Este convite é obrigatório e sem reservas à entrada. A Festa é de uma amiga de uma amiga de uma prima de um de nós, e é realmente importante contar com a presença de todos. Queremos proporcionar-lhe um momento especial, caótico e inesperado, tal como ela. Bom… indo diretos ao assunto: estão convidado a aparecer! “Quantos mais melhor” - não é o que se diz? Tragam vontade de poetizar, musicar, inventar. Tragam vontade de pensar, de jogar e de disparatar. Ela vai gostar de uma festa assim... Achamos nós. Partilha o evento com os teus amigos e arrastem-se até cá. Ah, e tragam os pulmões carregados para gritar Surpresa!

(Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo)

 


 

21h00 - Respirar Respigar - Sala Preta | ESMAE

TEATRO

Três corpos. Vorazes. Vazios. Em decadência. Desconhecidos de si próprios? São os dias que passam que nos conduzem pela indefinida e incerta espera. Quando parece que vamos cair - há sempre outro vento a fazer-nos ir. Um sopro mais forte. Com o mundo às costas e a morada esquecida, encontramos sempre outro lar. O da cidade bela, ali, bem pertinho, quase como miragem. Como uma loucura que se contagia: somos clandestinos na rua que agora adormece. Vamos em direção ao encontro, porque é na noite que ninguém nos vê e o cansaço adormece as gentes que ocuparam o lugar onde nos posicionamos agora. Cheios de vida, estes lugares são os companheiros da noite onde nos tentamos simplesmente a ir. Onde necessitamos de resgatar. Na penumbra, trazemos para a luz o que é deitado fora. O que incomoda e é largado na periferia. O lixo dos outros. Os restos esquecidos. Desperdiçados. Respigamo-los. A tudo o que os outros deitam fora. Aos outros que são deitados fora. Com sede de colocar na luz tudo o que fica à margem e incomoda. Vasculhamos no incerto. A nossa doença contagia-nos e fortalece-nos. Faz-nos correr em busca de um antídoto. Como bichos. Urgentes e famintos. À procura do alimento que resta. No limite da sobrevivência.

(Academia Contemporânea do Espetáculo - Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo)

 


 

22h00InCorpora - Sala 213 | ESMAE

MÚSICA, PERFORMANCE

Será que um instrumento musical só serve para produzir música? Se o víssemos como um simples objeto sem propósito, que novos sentidos poderia ele adquirir? 

O instrumento enquanto objeto, enquanto complemento e parte do corpo. Incorporar o instrumento para tocar, para cantar, para dançar, para brincar.

(Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo)

 


 

22h30O Eu Procura-se e o Nós Encontra-se - Café Concerto Francisco Beja

TEATRO, MÚSICA

Várias personagens procuram, sem encontrar, a felicidade. Procuram-na numa dívida que nunca se salda, num medo que nunca se esquece, numa sedução que nunca se concretiza, num engano que se prolonga até acabar numa embriaguez solitária. Espectáculo entre a música e o teatro, em vários quadros independentes que se ligam pela transformação do espaço em quintal, floresta, palco de concertos, discoteca. Apesar da repetição dos seus projectos frustrados, algo os une. A percepção de um Nós.

(Escola Superior de Educação de Bragança)