Entrada > FestivalSet'19 > Programação > segunda, 8 de julho

Segunda, 8 de julho

19h00Depois do pecado mortal - Sala Preta | ESMAE

TEATRO

Sei quem tu és! A tua cara é-me familiar. 

Ai sabes? Então diz-me lá, quem sou eu? 

Duas respirações que gritam confissões e que se estilhaçam como se fossem vidros. 

A loucura e a tensão caminham lado a lado com um Assassino e um Interrogador, duas personagens que jogam entre elas um jogo macabro e que terá consequências avassaladoras para ambas. Aproxima-se uma tempestade. As duas personagens movem-se e agem como se fossem duas forças em rota de colisão. Colisão com eles próprios e com o mundo. Até que ponto somos capazes de ter atitudes cruéis? De que forma é que essas atitudes nos influenciam? Uma coisa é certa. Depois do pecado mortal, nada voltará a ser o que era.

(Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo)

Ficha Artística 

Autoria e Encenação: Sebastião Maia 

Assistência de Encenação: Carlos Batista 

Interpretação: Manuel A. Santos; João Duarte Piçarra 

Desenho de Luz e Operação: José Alves 

Sonoplastia e Operação de Som: João Castro Gomes 

Cenografia: Maria Manada; Filipe Tootill 

Voz Off: Sebastião Maia

 


 

21h30Aquele que Não Era ou Discursos Sobre Medo e Hipocrisia - Teatro Helena Sá e Costa

TEATRO

Numa França marcadamente católica, Molière, em 1664, fez o público rir de um farsante que se aproveita do fanatismo religioso de um estúpido e rico burguês. Tartufo tornou-se sinónimo de hipócrita. Mas o interesse aqui, não é apontar o dedo para os vícios do “outro”, como se os excessos parisienses do século XVII ainda não orientassem, em alguma medida, as nossas ações mundo fora no século XXI. Aquele que não era ou discursos sobre medo e hipocrisia é uma resposta à questão do medo que nos traga para disputas de pequenos poderes, para projetos de ascensão social e, em última instância, para o medo da morte, temas presentes na obra de Molière. O resultado é um conjunto de composições criadas a partir de diferentes fragmentos do texto em tensão com as experiências de vida e visão de mundo dos atores.

(Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa)

Ficha Artística

Autor: Molière 

Encenação: Vítor Lemos

 Elenco: Beatriz Costa, Filipa Borges, Inês Jalles, Joana Crispim, Mafalda Tavares, Nelu Vermouth, Selma Guimarães, Tatiana Antunes   

 Coordenação Pedagógica: David Silva

 Direção de Produção: Nélia Cruz 

 Apoio à Dramaturgia: Paula Magalhães 

 Fotografia: Filipe Figueiredo

 


 

23h00De um Fervor Desmesurado a um Futuro Desabitado - Café Concerto Francisco Beja

CRUZAMENTO DISCIPLINAR

Uma casa: simples, velha, fria e com um cheiro característico. Uma pessoa: de adolescente a mulher, sofre um trauma que deixa dor. Um tempo: o presente e o passado juntam-se e revelam um futuro insípido. Uma mulher sentada à janela enquanto espera, desabotoa as camisas e manipula o cabelo.

 O som da rua traz-lhe esperança de que algum dia ele chegue/de que algum dia o esqueça. As revistas, o rádio, as lides domésticas e as flores que guarda são parte de si. Hipnotizada pela memória, a música desperta-lhe um frio na barriga que passou para o coração. Num relato sufocante deixa-se afundar pela mágoa, repetindo o dia anterior.

(Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa)

Ficha Artística 

Texto: Marta Freitas 

Criação Artística, Interpretação e Coreografia: Joana Crispim, Mafalda Tavares  

Coordenação Pedagógica, Operação de Luz e Som: David Silva 

Apoio ao Movimento: Maia Ornelas  

Fotografia: Filipe Figueiredo