Entrada > Notícias > Diálogo de Abril, Recital Sonoro Encenado

Diálogo de Abril, Recital Sonoro Encenado

ESMAE

A ESMAE, em tempo de confinamento, associa-se às comemorações do 25 de Abril


Às 00h21 do dia 25 de abril de 1974, uma quinta-feira, no programa Limite da então Rádio Renascença, foi transmitida uma gravação contendo a primeira estrofe da canção de José Afonso "Grândola, Vila Morena"  (Grândola vila morena / Terra da Fraternidade / O povo é quem mais ordena / Dentro de ti, ó cidade) pela voz de Leite de Vasconcelos, seguida da reprodução integral desta. Foi o sinal definitivo para o desenrolar das ações militares que devolveram a Liberdade ao Povo Português.


Na comemoração dos 46 anos do dia 25 de Abril, alunos e professores dos Cursos de Teatro e de Música da Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, dizem poemas de vários autores com recurso aos meios que cada um dispõe nas condições de emergência e confinamento em que todos nós nos encontramos.


Versão áudio

 

Todos os poemas foram misturados e manipulados, bem como todos os sons que os enquadram, por António Durães, no âmbito das Unidades Curriculares INTERPRETAÇÃO CÉNICA IV e VI, COLECTIVO II e PROJECTO TEATRO MUSICAL ÓPERA da classe de canto do Curso de Música e, em antecipação, de PRODUÇÃO V do Curso de Teatro.

Todos os sons que constam deste recital foram retirados do LP duplo “O dia 25 de Abril / Diário da Revolução/1974".

Todos os poemas foram declamados por:

01 – 25 de Abril, de Sophia de Mello Breyner, por António Durães

02 – Abril de Abril, de Manuel Alegre, por Ana Rosa;

03 – Portugal Ressuscitado, de José Carlos Ary dos Santos, por Ana Almeida;

04 – Soneto Imperfeito da Caminhada Perfeita, de Sidónio Muralha, por Rafaela Monteiro;

05 – Liberdade, de Sérgio Godinho, por Joana Costa;

06 – Fado Tropical, de Chico Buarque, por José Topa;

07 – 25 de Abril Sempre, de António de Almeida, por Maria Mendes;

08 – Evolução, de Antero de Quental, por Gustavo Queirós;

09 – Elefante de Abril, de Carlos Pinhão, por Beatriz Gaudêncio Ramos;

10 – Liberdade, de Miguel Torga, por Cliff Pereira;

11 – Queixa das Almas Jovens Censuradas, de Natália Correia, por Inês Margaça;

12 – Trova do Vento Que Passa, de Manuel Alegre, por Maria Teresa dos Santos;

13 – Trova do Mês de Abril, de Manuel Alegre, por Leonor Figueiredo;

14 – As Mãos, de Manuel Alegre, por Ana Beatriz Sousa;

15 – Abril de Sim Abril de Não, de Manuel Alegre, por Rita Morais;

16 – O Dia da Liberdade, de José Jorge Letria, por Patrícia Gonçalves;

17 – Cantata da Paz, de Sophia de Mello Breyner, por Fábio Soares;

18 – Manhã, de Luís Veiga Leitão, por Regina Castro

19 – Abril de Abril, de Manuel Alegre, por Tomás Bravo e Ângela Canez;

20 – É Urgente o Amor, de Eugénio de Andrade, por Carlos Morais;

21 – 25 de abril, de Sophia de Mello Breyner, por Iria Árias;

 – Folha de sala, dita por António Durães.


Autor

antoniogorgal@esmae.ipp.pt

Partilhar